Cochonilha: Como acabar de uma vez por todas com essa praga

Cochonilha: Como acabar de uma vez por todas com essa praga
4.6 (92.73%) 11 vote[s]

A cochonilha, apesar de ser uma praga muito conhecida, ainda causa grandes estragos.

Isso porque você tira as cochonilhas das plantas, passa tudo que te indicam na internet para acabar com elas, mas elas voltam novamente, como por um passe de mágica.

Se você passa por essa situação, pode até ter um pouco de raivinha delas, certo? 😛

Se for o caso, seus problemas acabaram.

gif homem comemorando

Se após ler este artigo você não conseguir acabar de vez com a cochonilha, nada mais irá. Acredite, palavra de agrônomo.

Então continue a leitura para descobrir como evitar as cochonilhas e como controlar essa praga.

Obs: Ao final do artigo eu testei a eficácia de um produto, não perca.

O que é cochonilha?

A cochonilha é um inseto sugador, ou seja, se alimenta da seiva das plantas, seja através das raízes, folhas, pseudobulbos, axilas (junção do pecíolo com o caule) e, até mesmo, dos frutos, causando o enfraquecimento da planta.

cochonilha no botao floral

Há várias espécies de cochonilhas e elas possuem diferentes tamanhos, que variam de aproximadamente 0,5 a 8 mm de comprimento.

As cores marrom e branca não são as únicas que esse inseto possui visto que algumas cochonilhas ficam brancas apenas devido ao depósito de uma secreção cerosa branca.

Também é possível encontrar cochonilha de coloração rósea, preta, verde, amarelada, marrom e outras cores.

Curiosidade: Você sabe o que é o mais grave nessa praga? É que a cochonilha pode estar associada a doenças. Quer um exemplo?

A Dysmicoccus brevipes, também conhecida como cochonilha pulverulenta, no abacaxi, está associada à doença chamada murcha do abacaxi (uma doença virótica), ou seja, essa cochonilha é quem transmite esse vírus para a planta!

Danos/Sintomas causados pela cochonilha

Por serem insetos sugadores, os danos estão relacionados à sucção de seiva das plantas, então esses são os principais danos causados:

  • Injetam toxinas nas plantas
  • Má-formação de folhas e frutos
  • Clorose (amarelecimento) em plantas e em mudas e eventualmente seu secamento, causando redução fotossintética
  • Secreção de substância adocicada onde a fumagina se desenvolve, o que faz com que a área para fotossíntese diminua, porque diminui a respiração e transpiração das plantas.
  • Enfraquecimento e subdesenvolvimento da planta e dos frutos
  • Transmitem doenças, principalmente vírus
  • Retardo do início da produção
  • Queda prematura de flores
  • Ocasionalmente causam a morte das plantas
  • Queda de produção nas culturas atacadas

Antes de mais nada eu citei sobre a fumagina e acho que tenho a obrigação de te contar o que é isso, por ser um sintoma muito comum de ocorrer.

O que é fumagina?

Fumagina é uma doença. Apesar de ser muito comum, tem pouca importância econômica.

Porém, essa doença não é causada pela cochonilha, ela ocorre de maneira indireta, devido às secreções açucaradas que tornam o local vulnerável para o crescimento dela.

Ela cresce sobre os tecidos vegetais, frequentemente nas folhas. Possui coloração negra, dessa forma a presença dessa coloração sempre confirma a presença de insetos sugadores, como pulgões e cochonilhas.

folha atacada fumagina

Ao contrário do que se imagina, a fumagina não penetra no tecido vegetal, portanto pode ser facilmente removida com as mãos.

Assim, o controle da fumagina é feito simultaneamente com o dos insetos sugadores. Controlando essas pragas a fumagina é eliminada.

Posteriormente, vou desvendar o segredo para você ter sucesso no controle da cochonilha, além de mostrar algumas receitas ótimas para controle.

Tipos de cochonilhas

Cochonilha branca ou Cochonilha farinhenta (Planococcus citri, P. ficus, Pseudococcus longispinus, P. maritimus e P. viburni)

A principal característica desse inseto é a secreção cerosa de cor branca que cobre o corpo da cochonilha.

As cochonilhas farinhentas são divididas em 3 fases de vida: ovo, larva (ninfa) e adulto.

A eclosão dos ovos ocorre após apenas 10 dias, dando o nascimento a pequenas ninfas. Essa é a fase de maior movimentação desse inseto na planta e nas proximidades.

Os machos adultos quase não se alimentam da planta, porque servem quase que exclusivamente para o acasalamento, deste modo morrem após o ato.

Todos os machos dessa cochonilha são alados.

Cochonilha de carapaça ou Cochonilha pardinha (Selenaspidus articulatus)

Visualmente, essa cochonilha é castanho-amarelado a castanho-escuro, aparecem em folhas, pseudobulbos, rizoma e raízes, pétalas, sépalas, ou seja, em todas as partes da planta.

Essas cochonilhas são facilmente disseminadas quando as plantas estão muito agrupadas, correntes de ventos podem ajudar na disseminação dessa praga em todo o local de cultivo.

A compra de plantas com essa praga é comum e é o principal motivo delas estarem presentes nos lares.

cochonilha de carapaça em orquídeas

Possuem três fases de vida: ovo, ninfa e adulto.

Os ovos ficam protegidos pela fêmea, debaixo de sua carapaça. Assim que os ovos eclodem surgem as ninfas, que são móveis (as carapaças com ovos possuem uma coloração bem escura).

Esse tipo de cochonilha completa todo seu ciclo de vida em 30 dias ou mais, mas em condições favoráveis pode levar de 18 a 24 dias.

Cochonilha-rosada (Maconellicoccus hirsutus)

Apesar de estar na lista e de ser questionado muitas vezes sobre essa espécie, atualmente ela quase não tem ocorrência no Brasil, segundo a Embrapa Meio Ambiente (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária ).

Foi encontrada pela primeira vez no Brasil em Roraima, no ano de 2010. (Você pode conferir essa informação no artigo científico: Novos locais de ocorrência e hospedeiros da cochonilha rosada, Maconellicoccus hirsutus, em Roraima)

No entanto, essa espécie é facilmente encontrada na África Central e Norte, Índia, Paquistão, Norte da Austrália e Sudeste da Ásia.

Temos sorte de ainda não termos grande incidência desse inseto aqui no Brasil, porque eles atacam plantas muito importantes da agricultura brasileira, como o café, milho, citros, goiaba, feijão, uva, entre outras.

As fêmeas dessa espécie possuem 3 mm de comprimento e uma camada de cera branca recobrindo a parte dorsal, enquanto os machos, menores que as fêmeas, possuem a coloração alaranjada e também um par de asas, além de dois filamentos caudais.

A cochonilha rosada demora de 23 a 30 dias para completar seu ciclo de vida e cada fêmea é capaz de colocar 200 a 600 ovos.

Cochonilha corante ou Cochonilha do carmim (Dactylopius coccus)

Em primeiro lugar, antes de começar a falar sobre essa cochonilha, devo dizer que, ao contrário do que todos pensam, essa praga não é sinônimo apenas de prejuízo.

Você sabia que essa cochonilha pode estar presente em diversos alimentos da sua cozinha e até mesmo em produtos têxteis e cosméticos?

gif do Jack Sparrow gritando

Atenção

Para que eu não acabe com a sua infância, pule este tópico. Caso leia e não goste é por sua total responsabilidade. 😛

Alimentos como iogurtes, biscoitos famosos e não famosos do mercado (Passatempo, Nesfit, Bono), Nesquik, Danoninho, sucos e muitos outros produtos.

Em resumo, grande parte dos produtos que possuem corante vermelho tem essa substância produzida por elas.

Esse corante vermelho, feito a partir desse extrato de cochonilha, é encontrado nos produtos com os nomes: vermelho 4, vermelho 3, carmim, cochineal, corante natural carmim cochonilha, Corante C.I. e corante E120.

Quer saber quais são os alimentos feitos com essa cochonilha corante? Dá uma olhadinha:

Se você é daquelas pessoas que só acredita vendo, eu fui até o supermercado verificar as embalagens, e foi isso que eu encontrei:

Importante

Antes de tudo, não entrarei na discussão sobre o consumo ou não de animais, insetos ou qualquer outra coisa, uma vez que esse tópico é apenas para mostrar que a cochonilha é utilizada como corante.

Continuando…

A substância produzida por essa cochonilha tem cor vermelho intenso, por isso é utilizado para esse fim.

Bom, agora que já dei a “má” notícia, vamos falar o que realmente importa?

O ciclo de vida da cochonilha corante pode variar de 102 a 180 dias, tudo depende das condições climáticas do local.

À primeira vista, pela quantidade de dias para completar o ciclo de vida podemos imaginar que ela demora pra se estabelecer na planta e causar prejuízos, porém não se engane.

Definitivamente é uma cochonilha perigosa, porque cada fêmea dela pode ovipositar mais de 500 ovos de uma única vez.

A cochonilha do carmim é praga exclusiva dos cactos, principalmente do cacto conhecido como pera espinhosa caída, pera espinhosa cochonilha ou Barbary figo.

cacto opuntia monacantha

O nordeste brasileiro passa por uma dificuldade imensa para controlar essa cochonilha, visto que os cactos são usados para alimentação animal no período das secas e a praga se espalhou de forma indiscriminada.

Cochonilha cabeça de prego (Chrysomphalus ficus)

Medem aproximadamente 2 mm. As fêmeas dessa espécie de cochonilha, quando adultas, têm a forma de uma escama circular, diante disso recebem o apelido de cabeça de prego.

Por outro lado, o macho adulto é bem menor que a fêmea, medindo cerca de 0,7 mm e possuem coloração mais clara e também possuem escama circular.

Cada fêmea possui a capacidade de ovipositar entre 50 a 150 ovos, e o ciclo de desenvolvimento varia entre 7 a 16 semanas. Essa diferença de dias no ciclo ocorre porque essa praga é diretamente afetada pela temperatura do ambiente.

Bom, agora que você sabe o que são, a origem e as principais espécies das cochonilhas, só faltou uma coisa, né!?

Como acabar de vez com a cochonilha

Eu precisava falar tudo isso antes porque são informações super valiosas e você as utilizará agora para acabar de vez com esses insetos.

Precisamos entender o ciclo de vida das cochonilhas, pois essa é a informação mais importante se o seu desejo é controlar essa praga.

Sabe por quê?

Porque não adianta nada eu te passar a receita do melhor inseticida se você não interromper o ciclo de vida dos insetos.

ciclo das cochonilhas

À primeira vista, parece complicado de entender, mas não é não.

Ao aplicar o inseticida, você pode matar e atingir várias fases do ciclo delas, fase de ovo, fase de ninfa, fase adulta, porém o inseticida pode não atingir algumas cochonilhas.

Por exemplo, você aplica o inseticida e mata várias cochonilhas, porém ficam alguns ovos para trás, por estarem em locais de difícil acesso ao inseticida.

Assim, quando a ninfa eclodir do ovo, o ciclo vai continuar e as cochonilhas estarão novamente nas plantas.

Dessa forma, para evitar que isso ocorra, é extremamente necessário a reaplicação do inseticida a fim de atingir várias fases do desenvolvimento da praga.

Esse é o segredo!

Entendeu agora por que eu citei o tempo do ciclo de vida para cada uma das espécies?

Dependendo da espécie você precisará reaplicar o inseticida após 10 dias, e repetir o processo até 3 vezes, ou seja, você aplica uma vez, depois de 10 dias aplica novamente e após mais 10 dias efetua a última aplicação.

Assim, veja quantos dias a cochonilha que está em sua planta completa seu ciclo de vida e divida esse valor por 3 (número de aplicações).

Com isso, de acordo com o valor encontrado, esse será o intervalo de tempo entre as 3 aplicações! Simples assim.

Inseticidas naturais para cochonilha

Antes de mais nada, eu gostaria que você soubesse que todos os inseticidas citados foram testados e aprovados em cartilhas agronômicas, artigos científicos, testes reais, então pode confiar.

1) Óleo mineral + detergente neutro

Em 1 litro de água acrescentar 1% de óleo mineral (10 ml de óleo) e 1% de detergente neutro (10 ml de detergente), em seguida agitar e fazer pulverizações foliares para controle de cochonilhas.

2) Calda de fumo + água de sabão

Para preparar a calda de fumo:

Picar meio palmo de fumo de corda e colocar em 1 litro de água com 1 xícara (café) de álcool.

Deixar de molho durante 24 horas. E, por fim, identificar o recipiente para evitar acidentes.

Para preparar a água de sabão:

Misture 1 colher (sopa) de sabão de coco raspado em 1 litro de água quente e dissolva todo o sabão.

O inseticida:

Assim, acrescente 5 colheres (sopa) da calda de fumo em 1 litro de água e misture com 1 litro da água de sabão.

Pulverize ou regue as plantas com essa mistura, procurando molhar bem, principalmente por baixo das folhas.

3) Samambaia do mato + água

Primeiramente, você precisará de 500 g de folhas secas ou 100 g de folhas frescas ou secas de samambaia do mato e colocá-las em 1 litro de água por 48 horas.

Em seguida, coar e diluir em 10 litros de água.

4) Querosene + óleo mineral + amido

Para esse inseticida, você deve misturar 300 ml de óleo mineral, 20 ml de querosene e 100 g de amido em 10 litros de água.

Eu testei

Há produtos muito famosos no mercado para o controle de cochonilhas.

Um desses produtos é o óleo de neem composto (significa que o produto possui extratos vegetais).

Importante: Antes de tudo, é importante salientar que a árvore de neem tem efeito tóxico para abelhas.

Portanto deve-se ter cuidado ao aplicar o óleo de neem sendo imprescindível a aplicação depois das 17 – 17:30 horas, pois as abelhas já terão retornado para as colmeias.

É necessário maiores pesquisas no assunto para se ter um melhor conhecimento no assunto.

Continuando…

Então, resolvi fazer um teste desse produto em uma das minhas minhas orquídeas com cochonilhas. O resultado? Veja você mesmo! 😉

Se for do seu interesse, você pode adquirir esse produto em nossa loja virtual, temos pouquíssimas unidades, portanto aproveite.

Como evitar cochonilhas?

Controlar as cochonilhas que estavam em suas plantas não significa que o seu trabalho já terminou, assim sendo você deve ficar atento para que elas não voltem.

Cochonilhas podem pegar carona de várias formas, manuseio, vento, gotas de chuva, plantas infestadas. Portanto você deve se preocupar em evitar que elas voltem.

Frequentemente deve-se utilizar soluções repelentes de insetos.

Veja abaixo algumas receitas para evitar cochonilhas:

Repelente de pimenta-do-reino com alho e sabão

dentes de alho

Extrato de Pimenta-do-reino

Misturar 100 gramas de pimenta-do-reino em 1 litro de álcool.

Deixe em repouso por uma semana em seguida coe e guarde em um vidro com tampa além de identificar o que tem dentro.

Extrato de alho

Misture 100 gramas de alho amassado com 1 litro de álcool em uma garrafa ou em um vidro com tampa.

Deixe em repouso por uma semana. Logo depois, coe e guarde num vidro que receberá tampa e um rótulo identificando o que tem dentro.

Mistura final

Cada vez que utilizar o produto, dissolver 50 gramas de sabão de coco em 1 litro de água quente.

Acrescente 1 copo de extrato de pimenta mais meio copo de extrato de alho.

Misture bem e depois coloque água até completar 20 litros.

Repelente de pimenta

pimentas vermelhas

Misturar 500 gramas de pimentas vermelhas (malagueta) em um liquidificador com 2 litros de água até a maceração total.

Em seguida, coar o preparado e misturar com 5 colheres de sopa de sabão de coco em pó, acrescentando então mais 2 litros de água. Pulverizar sobre as plantas.

Conclusão

Por meio deste artigo você descobriu o que são as cochonilhas, viu algumas das várias espécies existentes e também se espantou ao saber que algumas estão dando bastante lucro para as indústrias de corantes.

Posteriormente, viu que a principal informação para o controle de cochonilhas é saber sobre o ciclo de vida delas para efetuar aplicações no tempo certo.

E então viu que além de controlar você deve evitar o reaparecimento delas, dessa forma as cochonilhas vão passar longe de suas plantas!

Então, o que acharam do artigo? Agora acredita no que eu disse que se este artigo não resolver seu problema, nenhum outro irá?

Se gostou, deixe um comentário e compartilhe com seus amigos!

Comentários

2 comentários em “Cochonilha: Como acabar de uma vez por todas com essa praga

  • 21/04/2019 em 9:04 AM
    Permalink

    Gilberto, Bom dia!
    Sou agrônomo aposentado, mas ainda não deixei de trabalhar, na verdade sou um clínico geral com um pouco aprimoramento em irrigação. Tenha certeza de uma coisa, vc está no caminho certo, por favor não pare,sei que vc está fazendo aquilo que gosta, não se mede um bom profissional pelo seu salário e sim pela dedicação, conhecimento e prazer naquilo que ele faz, vc é um desses, não pare! Eu tiro o chapéu para vc, sim! Tenho 44 anos de formado, e vou morrer lendo. Deus o abençoe ricamente.
    Saudações agronômicas
    Claudio Lísias.

    Resposta
    • 21/04/2019 em 4:45 PM
      Permalink

      Muito obrigado pelas palavras de apoio Claudio! Vou continuar sim!
      São comentários como o seu que me dão forças para continuar! 🙂
      Obrigado!

      Resposta

Deixe uma resposta