20.6 C
São Paulo
quinta-feira, junho 27, 2024

Cultivo de Tomate Cereja Em Substrato: Uma Técnica Inovadora para Aumentar a Produtividade

O cultivo de tomate cereja em substrato tem se mostrado uma opção cada vez mais atraente para agricultores que buscam maior produtividade e controle sobre suas plantações.

Neste artigo, vamos explorar os principais aspectos dessa técnica, desde o ambiente protegido até o manejo das plantas e o controle de pragas e doenças.

Vamos nos basear em uma circular técnica da EMBRAPA, a chamada Produção de Tomate em Substrato de Fibra de Coco.

O que é o cultivo em substrato?

Antes de mais nada, você deve estar se perguntando: afinal, o que é esse tal cultivo em substrato? Bem, é um sistema onde as plantas crescem fora do solo, em recipientes contendo um meio de cultivo alternativo. No caso do tomate cereja, um dos substratos mais recomendados é a fibra de coco.

Essa técnica apresenta diversas vantagens em relação ao cultivo tradicional no solo:

  • Maior produtividade
  • Frutos de melhor qualidade e mais uniformes
  • Possibilidade de plantio em áreas com solos inadequados
  • Redução de gastos com mão de obra
  • Uso mais eficiente da água na irrigação
  • Melhor controle nutricional
  • Menor ocorrência de doenças

Claro, também existem alguns desafios, como o maior custo inicial e a necessidade de conhecimento técnico mais aprofundado. Mas não se preocupe! Vamos abordar os principais pontos para você começar nessa empreitada.

vaso de tomate cereja em substrato de fibra de coco
Fonte: EMBRAPA

Ambiente protegido: a casa do seu tomateiro

O cultivo em substrato geralmente é feito em ambiente protegido, como estufas ou telados. Isso proporciona um microclima mais adequado para o desenvolvimento das plantas e as protege contra intempéries e pragas.

Na região da Serra da Ibiapaba, no Ceará, onde foram realizados experimentos com essa técnica, são utilizados dois tipos principais de estruturas:

Telados

São estruturas mais simples, geralmente feitas de madeira ou metal, cobertas com tela tipo clarite (branca). Sua principal função é proteger contra pragas, granizo e ventos. No entanto, não oferecem proteção efetiva contra chuvas.

telado de plantas
Fonte: Revista Campo & Negócios

Estufas

O modelo mais comum na região é o tipo arco, com estrutura metálica ou de madeira e cobertura plástica. Uma característica importante é ter pé direito alto e abertura para ventilação na parte superior (teto convectivo), o que ajuda a controlar a temperatura interna.

estufa de tomate
Fonte: Zanatta Estufas

Um estudo comparativo entre telado e estufa mostrou que:

  • O telado apresentou temperaturas mais amenas, favoráveis ao tomateiro
  • A estufa teve menor umidade relativa do ar, reduzindo a ocorrência de doenças foliares

Portanto, a estufa se mostrou mais vantajosa em termos de controle de pragas e doenças. No entanto, ainda há espaço para melhorias no design para diminuir as temperaturas nas horas mais quentes do dia.

O substrato: a base do seu cultivo

O substrato é o meio que serve de suporte físico para as plantas e retém água e nutrientes. Um bom substrato deve ter algumas características importantes:

  • Alta capacidade de retenção de água disponível para as raízes
  • Boa porosidade e aeração
  • Não reagir quimicamente com os fertilizantes
  • Estrutura estável e decomposição lenta
  • Baixa salinidade
  • Livre de patógenos
fibra de coco
Fonte: GroHo Hidroponia

Para a região Nordeste do Brasil, o substrato de fibra de coco é um dos mais recomendados. Ele apresenta boas características físicas, está disponível no mercado local e tem uma boa relação custo/benefício.

Recipientes: a casa das suas plantas

No cultivo do tomate cereja em substrato, são utilizados de 8 a 10 litros de substrato por planta. Isso pode estar contido em:

  • Sacos plásticos
  • Vasos
  • Valas cavadas no solo e revestidas com filme plástico

Os sacos de cultivo são bastante populares. Geralmente têm volume de 40 litros e dimensões de 100-110 cm de comprimento, 20 cm de largura e 12-15 cm de altura. É importante que sejam de cor clara (preferencialmente branca) para evitar o aquecimento excessivo do substrato.

vasos de tomates cereja em substrato de fibra de coco
Fonte: Revista Campo & Negócios

Irrigação: água na medida certa

No cultivo em substrato, utiliza-se a irrigação por gotejamento. Esse sistema permite aplicar a solução nutritiva de forma precisa, em pequenas doses e com alta frequência.

É fundamental que o sistema de irrigação seja bem dimensionado e tenha alta uniformidade de aplicação. Afinal, todas as plantas precisam receber aproximadamente a mesma quantidade de solução nutritiva.

Os gotejadores devem ter estacas que permitam direcionar o fluxo de água para o local desejado em relação à planta. A distância do gotejador à planta geralmente varia de 3 cm a 8 cm.

O sistema de irrigação deve ser automatizado, permitindo a aplicação de vários pulsos de irrigação ao longo do dia. Para isso, são utilizados um programador de irrigação (timer) e válvulas solenoides.

EmbrapaAgroindstriaTropical
Fonte: Embrapa Agroindústria Tropical

Solução nutritiva: o alimento das suas plantas

A solução nutritiva é fundamental no cultivo em substrato. Ela fornece todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento das plantas. Você pode optar por adquirir formulações prontas no mercado ou fazer sua própria formulação utilizando fertilizantes solúveis.

É importante fazer uma análise química da água que será usada na fertirrigação, pois as concentrações de sais e o pH afetam a formulação da solução nutritiva. Para o cultivo do tomate cereja, a água de irrigação deve ter uma condutividade elétrica de no máximo 1,5 dS/m.

O artigo apresenta uma formulação de solução nutritiva utilizada com sucesso no cultivo de tomateiro na Serra da Ibiapaba, CE. Essa solução pode ser preparada em tanques de solução estoque concentrada e injetada no sistema de irrigação através de bombas dosadoras.

É fundamental manter o pH da solução nutritiva entre 5,5 e 6,5 para garantir uma boa absorção de nutrientes pelas plantas e evitar problemas nas tubulações de irrigação.

Manejo do cultivo: cuidados do dia a dia

O manejo adequado é essencial para o sucesso do cultivo de tomate cereja em substrato. Vamos abordar alguns pontos importantes:

Transplante das mudas

As mudas devem ser transplantadas quando apresentarem de quatro a cinco folhas definitivas. Antes do transplante, o substrato deve ser saturado com solução nutritiva e depois drenado.

Tutoramento e amarração

O tutoramento é essencial para manter a planta ereta e evitar que folhas e frutos toquem o solo. Recomenda-se o tutoramento vertical, utilizando fitilho de plástico.

Desbrota e desfolha

A desbrota (remoção dos brotos laterais) deve ser feita semanalmente. As plantas podem ser conduzidas com uma ou duas hastes, dependendo do objetivo de produção.

Irrigação

O manejo da irrigação é crucial. É necessário monitorar diariamente os volumes, o pH e a condutividade elétrica da solução nutritiva aplicada e da solução drenada dos contentores.

Pragas e doenças: os inimigos do seu tomateiro

Mesmo em ambiente protegido, o tomateiro pode ser atacado por diversas pragas e doenças. O manejo integrado, com monitoramento constante, é fundamental para o controle efetivo. Vamos conhecer alguns dos principais problemas:

Pragas do tomate

  1. Traça-do-tomateiro (Tuta absoluta)
  2. Mosca-branca (Bemisia argentifolii)
  3. Mosca-minadora (Liriomyza spp.)
  4. Tripes (Frankliniella spp.)
  5. Broca-pequena (Neoleucinodes elegantalis)
  6. Ácaro-do-bronzeamento (Aculops lycopersici)
e-book pragas do tomateiro

Para cada uma dessas pragas, existem métodos específicos de monitoramento e controle. O uso de armadilhas adesivas e com feromônios é uma estratégia importante para o monitoramento.

Doenças

  1. Pinta-preta (Alternaria solani)
  2. Mancha-de-estenfílio (Stemphylium solani)
  3. Oídio (Oidiopsis haplophylli)
  4. Murcha-bacteriana (Ralstonia solanacearum)

O controle dessas doenças envolve medidas preventivas, como a eliminação de fontes de inóculo, e o uso de fungicidas registrados para a cultura, sempre baseado no monitoramento da doença.

Preparação para o próximo ciclo

Após o término de um ciclo de cultivo, é importante preparar o substrato para o próximo plantio. Isso envolve:

  1. Irrigar apenas com água na última semana do cultivo
  2. Deixar as plantas secarem e removê-las
  3. Tratar o substrato com uma solução de hipoclorito de sódio
  4. Lavar o substrato e saturá-lo novamente com solução nutritiva

Esses cuidados ajudam a prevenir a disseminação de doenças e garantem melhores condições para o próximo ciclo de cultivo.

Custos e resultados: vale a pena investir?

O artigo apresenta uma estimativa de custos de produção para uma estufa de 2.500 m² com um ciclo de cultivo por ano. Considerando uma produtividade média de 14 kg/m², a produção total seria de 35.000 kg/ciclo.

Com um preço médio de comercialização de R$ 1,00/kg, a margem de lucro bruta seria de R$ 15.975,00 por ciclo. Seria necessária uma produção de 19.025 kg de tomate cerejapara cobrir os custos de produção.

É importante ressaltar que é possível realizar mais de um ciclo de cultivo por ano na mesma estrutura, o que poderia diminuir o custo de produção por ciclo.

Conclusão: um futuro promissor para o tomate cereja em substrato

O cultivo de tomate em substrato de fibra de coco se mostra uma alternativa viável e promissora, especialmente em regiões como a Serra da Ibiapaba, no Ceará. Essa técnica permite maior controle sobre as condições de cultivo, resultando em maior produtividade e qualidade dos frutos.

Apesar do investimento inicial mais elevado, os resultados econômicos são animadores. Além disso, a possibilidade de realizar múltiplos ciclos de cultivo por ano pode tornar o empreendimento ainda mais rentável.

Para quem está pensando em iniciar nessa área, é fundamental buscar conhecimento técnico e contar com o apoio de profissionais experientes. Com dedicação e manejo adequado, o cultivo de tomate cereja em substrato pode se tornar um negócio de sucesso.

Lembre-se: o segredo está no cuidado diário, no monitoramento constante e na rápida resposta aos desafios que surgem. Com essas práticas, você estará no caminho certo para colher os frutos do seu trabalho – no caso, tomates saborosos e de alta qualidade!

Referências

EMBRAPA. Produção de Tomate em Substrato de Fibra de Coco. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/51476/1/CIT11002.pdf

Gilberto
Gilbertohttps://pergunteaoagronomo.com.br/
Sou Engenheiro Agrônomo, formado pela Universidade Federal de Viçosa – UFV, possuo MBA em Agronegócios pela Esalq-USP. Tenho mais de 20 anos de experiência no cultivo de orquídeas e experiência internacional em hortaliças e frutiferas.

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

11,909FãsCurtir
2,306SeguidoresSeguir
1,098SeguidoresSeguir
21,400InscritosInscrever
- Anúncio -

Últimos Artigos

- Anúncio -