22.2 C
São Paulo
quarta-feira, junho 5, 2024

Escala Scoville: Descubra a Medida da Picância das Pimentas

A Escala Scoville é uma medida usada para avaliar a picância das pimentas, que varia de acordo com a quantidade de capsaicina presente em cada tipo.

Criada pelo farmacêutico Wilbur Scoville em 1912, a escala é utilizada até hoje para classificar pimentas em diferentes níveis de ardência. Além de ser uma ferramenta importante na culinária, a Escala Scoville também tem impacto na indústria alimentícia e na criação de novos tipos de pimentas.

Neste artigo, vamos explorar a história e os usos da Escala Scoville, além de abordar os diferentes aspectos relacionados à picância das pimentas.

O que é a escala Scoville?

A Escala Scoville é uma medida utilizada para avaliar a picância das pimentas, que varia de acordo com a quantidade de capsaicina presente em cada tipo.

Tabela da Escala Scoville para diferentes piementas

A capsaicina é uma substância encontrada nas pimentas, que é responsável pela sensação de queimação na boca e garganta ao ser consumida. A Escala Scoville é, portanto, uma forma de medir a quantidade de capsaicina em cada tipo de pimenta, o que permite classificar as pimentas em diferentes níveis de ardência.

Como é feita a medição da picância das pimentas?

Para determinar a ardência das pimentas, Wilbur Scoville criou um método que consistia em diluir extratos de pimenta em água com açúcar, e em seguida pedir a voluntários que provassem as soluções. O método envolvia diluições sucessivas, até que a solução não fosse mais considerada picante pelo voluntário. O número de diluições necessárias para atingir esse ponto era então utilizado para determinar a pontuação da pimenta na Escala Scoville.

Imagem do Wilbur Scoville em preto e branco
fonte: Wikipedia

Atualmente, a Escala Scoville é medida por meio de análises químicas, que determinam a quantidade de capsaicina presente em cada tipo de pimenta. A pontuação na Escala Scoville pode variar de zero, para pimentas que não possuem capsaicina, até 2 milhões, para as pimentas mais picantes.

A Escala Scoville é uma ferramenta importante na culinária, uma vez que permite que cozinheiros e chefs escolham pimentas de acordo com o nível de ardência que desejam em seus pratos. Além disso, a Escala Scoville é utilizada na indústria alimentícia para a criação de alimentos picantes, bem como na pesquisa e desenvolvimento de novos tipos de pimentas

Quais são as 5 pimentas mais picantes do mundo?

As pimentas mais picantes do mundo são classificadas de acordo com a Escala Scoville, que leva em consideração a quantidade de capsaicina presente em cada tipo de pimenta.

Aqui estão as cinco pimentas mais picantes do mundo:

Carolina Reaper: é atualmente considerada a pimenta mais picante do mundo, com uma pontuação média de 1,6 milhões na Escala Scoville. A Carolina Reaper foi criada na Carolina do Sul, nos Estados Unidos, e é uma mistura das pimentas Habanero e Scotch Bonnet.

pimenta Carolina Reaper
fonte: Pepper Scale

Trinidad Scorpion: é uma pimenta originária da ilha de Trinidad e Tobago, que possui uma pontuação média de 1,4 milhões na Escala Scoville. A Trinidad Scorpion é conhecida por sua forte sensação de queimação e é amplamente utilizada na culinária caribenha.

vaso de pimenta Trinidad Scorpion
fonte: PepperScale

Pot Douglah: é uma pimenta originária de Trinidad e Tobago, que possui uma pontuação média de 1,3 milhões na Escala Scoville. A 7 Pot Douglah é conhecida por sua cor escura e sabor frutado, mas também por ser extremamente picante.

pimenta Pot Douglah
fonte: pot douglah pepper Tyler Farms

Naga Viper: é uma pimenta criada na Inglaterra, que possui uma pontuação média de 1,2 milhões na Escala Scoville. A Naga Viper é uma mistura de três pimentas diferentes, incluindo a Ghost Pepper, que também é conhecida por sua forte picância.

pimentas Naga Viper
fonte: Chilli Seeds

Ghost Pepper (Bhut Jolokia): é uma pimenta originária da Índia, que possui uma pontuação média de 1,04 milhões na Escala Scoville. A Ghost Pepper é amplamente utilizada na culinária indiana, mas também é conhecida por sua alta picância em todo o mundo.

Ghost Pepper
fonte: wikipedia

A variedade 7 Pot Primo é considerada uma das pimentas mais picantes do mundo, com um nível de ardência estimado em torno de 1,2 milhão a 1,7 milhão de unidades na escala Scoville.

pimenta 7 Pot Primo
fonte: Pepper Geek

Embora não esteja na lista das cinco pimentas mais picantes do mundo, a 7 Pot Primo é certamente uma pimenta extremamente picante e bastante popular entre os entusiastas de pimentas. A lista das pimentas mais picantes do mundo pode variar dependendo da fonte consultada e dos critérios utilizados, mas o importante é lembrar que todas as pimentas com níveis elevados de capsaicina devem ser consumidas com moderação e precaução.

É importante lembrar que o consumo excessivo de pimentas muito picantes pode ser prejudicial à saúde, causando irritação no estômago e no intestino, além de problemas cardiovasculares em alguns casos. Por isso, é importante consumi-las com moderação.

Quais são as pimentas mais comuns na culinária brasileira?

A culinária brasileira é bastante diversificada e rica em sabores e ingredientes. As pimentas são um dos ingredientes mais utilizados na culinária brasileira, dando um toque picante e saboroso aos pratos. Entre as pimentas mais comuns na culinária brasileira, destacam-se:

Pimenta-de-cheiro: é uma pimenta de tamanho médio e aroma suave, muito utilizada na culinária nordestina para temperar carnes, frangos, peixes e ensopados.Pimenta-malagueta: é uma pimenta pequena e bastante picante, usada em molhos, temperos, conservas e no preparo de pratos como vatapá, moqueca e feijoada.

pimenta de cheiro verdes
fonte: Instituto brasil a gosto

Dedo-de-moça: é uma pimenta de tamanho médio e ardência moderada, usada em molhos, conservas, carnes e ensopados.

Cumari-do-Pará: é uma pimenta pequena e bastante picante, utilizada em pratos típicos da região amazônica, como o tacacá e o pato no tucupi.

pimentas amarelas cumari do pará
fonte: Vamos Comer Melhor

Biquinho: é uma pimenta pequena e suave, utilizada em saladas, sanduíches e em preparações como geleias e molhos agridoces.

pimenta biquinho
fonte: Rubens Junior tecnologia e informação

Vale ressaltar que existem muitas outras variedades de pimentas utilizadas na culinária brasileira, dependendo da região e do tipo de prato que está sendo preparado. O importante é utilizar as pimentas com moderação e de forma equilibrada, para que elas realcem o sabor dos pratos sem torná-los excessivamente picantes.

Como utilizar a escala Scoville para escolher alimentos picantes?

A Escala Scoville é uma ferramenta que pode ser útil para escolher alimentos picantes, pois ela ajuda a mensurar a quantidade de capsaicina presente na pimenta, que é o composto responsável pela sensação de ardência na boca.

Para utilizar a Escala Scoville na escolha de alimentos picantes, é importante seguir as seguintes dicas:

Conheça os níveis de ardência: antes de escolher um alimento picante, é importante conhecer os níveis de ardência da Escala Scoville para poder selecionar uma pimenta que seja adequada ao seu paladar. Pessoas com menor tolerância à pimenta devem escolher pimentas com níveis mais baixos na Escala Scoville, enquanto aquelas que gostam de um sabor mais picante podem escolher pimentas com pontuações mais altas.

Leia os rótulos dos alimentos: muitos alimentos picantes apresentam a pontuação da Escala Scoville em seus rótulos, principalmente molhos de pimenta, o que pode ser útil para escolher um produto que se adapte ao seu gosto. Alimentos que utilizam pimentas mais picantes terão pontuações mais elevadas na Escala Scoville.

rótulo com a escala scoville
fonte: viciados em pimentas

Experimente: a melhor maneira de escolher um alimento picante é experimentando-o. Comece com quantidades pequenas e aumente gradualmente a quantidade de pimenta, observando como seu corpo reage. Isso ajudará a desenvolver a tolerância à pimenta e a escolher alimentos picantes de acordo com sua preferência.

Peça ajuda a um especialista: se você tem dúvidas sobre a escolha de alimentos picantes, um especialista em pimentas ou em culinária pode ajudar a escolher os alimentos mais adequados ao seu paladar. Além disso, eles podem sugerir receitas e dicas para usar pimentas de maneira criativa na cozinha.

Como a indústria alimentícia utiliza a escala Scoville para criar alimentos picantes?

A indústria alimentícia utiliza a Escala Scoville como um guia para criar alimentos picantes, já que ela ajuda a mensurar a quantidade de capsaicina presente na pimenta e, consequentemente, determina a intensidade do sabor picante.

Ao utilizar a Escala Scoville, a indústria alimentícia pode criar alimentos com diferentes níveis de ardência para atender a diferentes preferências dos consumidores. Por exemplo, algumas marcas de molho de pimenta apresentam diferentes variedades com pontuações na Escala Scoville diferentes, para agradar desde aqueles que preferem um sabor mais suave até os que gostam de um sabor muito picante.

A Escala Scoville também é usada para determinar a quantidade de pimenta que deve ser adicionada em produtos alimentícios para obter um sabor picante específico. Por exemplo, se a empresa deseja criar um molho de pimenta com pontuação na Escala Scoville de 10.000, ela deve adicionar uma quantidade específica de pimentas que tenham essa pontuação na Escala Scoville.

Além disso, a Escala Scoville é usada para avaliar a qualidade de pimentas e outros produtos alimentícios que contêm pimenta, como molhos e temperos.

As empresas podem garantir que estão produzindo um produto consistente e de alta qualidade, que atenda às expectativas dos consumidores em relação ao sabor picante.

Como criar uma escala Scoville em casa para medir a picância das pimentas?

Criar uma escala Scoville em casa pode ser um processo simples, desde que se tenha os materiais necessários. Para isso, é preciso ter pimentas de diferentes variedades, álcool de cereais (ou vodka) e uma solução salina.

O primeiro passo é triturar as pimentas em um processador de alimentos ou liquidificador, adicionando álcool de cereais suficiente para cobrir as pimentas. É importante lembrar que o álcool é usado para extrair a capsaicina das pimentas, e não para diluí-la. Por isso, é necessário usar álcool suficiente para extrair toda a capsaicina presente nas pimentas.

Após isso, deixe a mistura descansar por algumas horas em um recipiente fechado, para que a capsaicina se dissolva no álcool. Depois, filtre a mistura para separar as sementes e a polpa das pimentas do álcool com a capsaicina.

Agora é hora de criar a solução salina (soluções de açúcar também são muito utilizadas). Para isso, misture uma colher de chá de sal em um copo de água. Essa solução será usada para diluir a mistura de álcool e pimentas.

Coloque uma gota da mistura de álcool e pimentas em um copo com a solução salina. Prove a solução e, se a mistura for muito forte, dilua a mistura de álcool e pimentas com mais álcool e adicione uma nova gota à solução salina. Continue diluindo e adicionando gotas à solução salina até que a picância da mistura seja detectável, mas não insuportável.

O número de diluições necessárias para que a picância seja detectável será a medida de picância da pimenta em unidades Scoville. Por exemplo, se a diluição necessária para detectar a picância da pimenta foi de 1:100, isso significa que a pimenta tem 100 unidades Scoville.

Vale lembrar que essa escala caseira não é tão precisa quanto a Escala Scoville oficial, já que não há um método padronizado de medição. No entanto, pode ser uma forma interessante de entender melhor a ardência das diferentes variedades de pimentas.

Conclusão

A escala Scoville é um sistema de medição de ardência de pimentas muito utilizado na culinária e na indústria alimentícia. Desde sua criação, em 1912, muitos avanços foram feitos para aprimorar a escala e torná-la mais precisa. Hoje, existem equipamentos sofisticados para medir a ardência das pimentas, mas é possível criar uma escala Scoville em casa utilizando água e açúcar.

A ardência da pimenta pode trazer diversos benefícios à saúde, como a liberação de endorfina e a melhora da digestão, mas também pode causar irritações na pele e problemas gastrointestinais se consumida em excesso. Por isso, é importante conhecer os níveis de ardência de cada tipo de pimenta e utilizá-las de forma consciente na culinária.

Além disso, a relação entre a cultura de um povo e o consumo de alimentos picantes é evidente. Em muitos países, as pimentas são um elemento fundamental da culinária e fazem parte da identidade cultural do povo. Já na indústria alimentícia, a escala Scoville é utilizada para criar alimentos picantes com níveis de ardência controlados e seguros para o consumo.

Em resumo, a escala Scoville é um importante sistema de medição de ardência de pimentas, que ajuda a entender melhor os efeitos da pimenta na culinária e na saúde. É importante conhecer os níveis de ardência de cada tipo de pimenta e utilizá-las de forma consciente e segura. E para aqueles que desejam se aventurar na criação da escala Scoville em casa, o método com água e sal (ou açúcar) é uma opção simples e eficaz.

Foto da capa: Search Engine Land

Gilberto
Gilbertohttps://pergunteaoagronomo.com.br/
Sou Engenheiro Agrônomo, formado pela Universidade Federal de Viçosa – UFV, possuo MBA em Agronegócios pela Esalq-USP. Tenho mais de 20 anos de experiência no cultivo de orquídeas e experiência internacional em hortaliças e frutiferas.

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

11,909FãsCurtir
2,306SeguidoresSeguir
1,098SeguidoresSeguir
21,400InscritosInscrever
- Anúncio -

Últimos Artigos

- Anúncio -