Lavanda: Como Cultivar, 5 Principais Tipos e Benefícios

Pontuação dos leitores
[Total: 5 Média: 5]

Todo mundo pensa que lavanda é um tipo de aroma criado em laboratório. Estamos tão acostumados com o nome e o cheiro que não paramos para pensar de onde ele vem.

O mesmo acontece com a tal “essência de baunilha”, citada no artigo: 28 Tipos de orquídeas que você precisa conhecer imediatamente. Já adianto que essa essência é proveniente de uma orquídea.

Por isso, nesse artigo nós vamos mergulhar no mundo das plantas de lavanda, descobriremos os benefícios, alguns produtos feitos com ela, ensinarei como cultivar a lavanda, e muito mais.

Origem da lavanda

O gênero das lavandas (Lavandula) possui aproximadamente 40 espécies. São nativas das Ilhas Canárias, norte e oeste da África, sul da Europa e no Mediterrâneo, Arábia e Índia.

Alguns historiadores defendem que as lavandas surgiram na Ásia e no Mediterrâneo apenas.

Dentre essas mais de 40 espécies, três se destacam pela importância comercial: a Lavandula angustifolia (Lavanda inglesa), a Lavandula hibrida (Lavandim) e a Lavandula latifolia.

Por outro lado, a Lavandula dentata (Lavanda francesa) e a Lavandula stoechas se destacam pela importância como plantas ornamentais, por isso será sobre elas que falaremos nesse artigo.

Se você ainda possui dúvidas sobre o que significa um gênero e uma espécie, eu explico tudo no vídeo abaixo, apesar do exemplo ser com orquídeas, é a mesma coisa:

Há provas que o óleo essencial dessa planta era utilizada há séculos pelos romanos para lavar roupa, tomar banho, perfumar ambientes e como remédio (mais a frente veremos alguns benefícios dessa planta).

Diferenças entre os tipos de Lavandas

Bom, acho que antes de te ensinar a cultivá-la eu preciso te apresentar a elas, certo?

Não vou apenas jogar um monte de foto aqui sem você saber qual é qual. Quero que você veja pelo menos algumas diferenças entre as lavandas.

Lavandula angustifolia

Amplamente conhecida como alfazema.

Essa planta produz menos óleo essencial do que a espécie híbrida, porém ainda é muito utilizada para esse fim, é uma espécie convencional para tal.

Possui um aroma mais doce e leve em comparação a outras lavandas e seu óleo essencial é considerado superior para propósitos terapêuticos.

Lavandula angustifolia
Fonte: Maja Dumat

Lavandula angustifolia em vaso
Fonte: Maja Dumat

lavandula angustifolia
Fonte:  Karan Rawlins

botanica da Lavandula angustifolia

Lavandula X intermedia (híbrida)

Também conhecida como Lavandim, esse híbrido foi criado através da polinização cruzada de Lavandula angustifolia com Lavandula latifolia.

Como resultado, o Lavandim é uma planta muito maior e produzem também grande quantidade de óleo essencial.

Nos jardins são utilizadas para completar os cantos dos canteiros formando uma moita grande e muito bonita com flores roxas.

Há diversas variedades dessa planta, bem como da Lavandula angustifolia, por isso vocês verão flores com colorações diferentes nas fotos abaixo.

Por ser uma espécie inferior terapeuticamente, é mais utilizada pela indústria para fabricação de itens relacionados a flagrâncias como sabonetes, detergente, perfumes e outros produtos para cuidados com a pele.

Moita de Lavandim
Fonte: Heribert Bechen

moita de lavandim
Fonte: Planting Tree

lavandim no vaso
Fonte: The Growers Exchange

botanica lavandula angustifolia
Fonte: Aromaculture

Lavandula latifolia

Os óleos essenciais dessa planta possuem aroma mais canforado em comparação à Lavandula angustifolia.

A quantidade de cânfora pode variar e chegar até uma concentração de 35%, dependendo da região onde é cultivada.

Devido a essa quantidade de cânfora, seu uso não é recomendado para mulheres grávidas.

Lavandula latifolia
Fonte: AromaWeb

folhas da Lavandula latifolia
Fonte: Flora Catalana

Comparação entre as três espécies citadas anteriormente:

diferenças entre lavandulas
Fonte: CB Consulting

Lavandula dentata

É visivelmente diferente das outras espécies de lavanda, isso por que suas folhas possuem margens recortadas.

As plantas atingem altura de aproximadamente 1 metro.

folhas de Lavandula dentata
Fonte: Jardim Botânico

flores de Lavandula dentata

Lavandula stoechas

Em Portugal é conhecida como rosmaninho, essa espécie tende a florescer continuamente,

Sua floração é diferenciada em relação à alfazema (Lavandula angustifolia), apresentando um pendão floração que parece um abacaxi.

flores de Lavandula stoechas

flores de Lavandula stoechas

Lavandula stoechas
Fonte: liesvanrompaey

diferenças entre generos

Como cultivar Lavandas

Depois que você viu os principais tipos de lavanda, tanto as espécies comerciais, aquelas usadas pelas indústrias para fabricação de produtos diversos, quanto aquelas usadas de forma ornamental, nos falta aprender a cultivá-las.

Então, aprenda comigo o que fazer para que sua lavanda fique bem e perfume sua vida! 🙂

Temperatura ideal

Ao contrário das várias plantas mencionadas aqui no site, onde os problemas surgiam quando a pessoa tentava o cultivo em ambientes mais frios, no caso da lavanda é diferente.

A lavanda não se adapta bem aos climas quentes como os do Nordeste/Norte do Brasil, mas consegue se adaptar bem aos climas mais “fresquinhos” e frios do sul/sudeste.

São plantas resistentes ao inverno rigoroso, com temperaturas inclusive abaixo de 0ºC.

lavandas no frio
Campo de Lavanda na neve
Fonte: Daniel Hannabuss

Iluminação ideal e florescimento

As lavandas são plantas que só conseguem florescer quando o dia é maior do que a noite, ou seja, são plantas de dias longos (e consequentemente noites mais curtas).

Essa diferença de tempo entre o dia e a noite ocorre naturalmente de acordo com as estações do ano que nos encontramos.

Por isso, a lavanda floresce entre a primavera e o verão, estações que os dias são mais longos.

O local ideal para cultivar deve fornecer no mínimo 6 horas de sol para a planta.

Observação: Se sua planta não tiver a quantidade mínima de sol, ela poderá morrer rapidamente.

Como e quanto regar as lavandas?

Por serem plantas rústicas, as lavandas são resistentes à seca, mas isso não significa que você deve deixá-la sempre seca.

Molhe a planta abundantemente, até que a água escorra pelos furos de drenagem, ou até que o solo fique úmido e apenas repita a irrigação quando a terra estiver totalmente seca (ou até mesmo alguns dias depois de verificar que o solo está seco).

Pode levar 3 dias, pode levar 4 dias, pode levar 7 dias, tudo depende da região onde você mora.

As lavandas não toleram encharcamento, por isso é importante deixar que a terra fique totalmente seca antes de efetuar novo molhamento.

Por isso, lembrem-se: água em excesso é fatal para as lavandas.

Solo Ideal para cultivo

Originalmente, lavandas são nativas de solos pobres e rochosos.

Porém não vá me colocar a planta em qualquer terra que encontrar, ok?

As lavandas sofreram várias hibridações ao longo dos anos e apesar de serem resistentes a solos pobres, ela pode não ficar tão bonita.

Um solo bem drenante e com bastante matéria orgânica fará suas plantas crescerem vigorosamente.

Para enriquecer o solo, você pode utilizar o Bokashi, ele ajuda a tornar o solo melhor para as plantas.

Se desejar adquirir nosso produto, visite nossa loja virtual:

O PH do solo para o cultivo de lavandas deve ser de 6.5 a 7.0, portanto antes do plantio faça a correção do PH. Lembrando que o Bokashi possui calcário dolomítico em sua composição, o que pode te auxiliar nisso!

Lavandas secando da base

As lavandas, quando crescem muito e formam “moitas” grandes, começam a ficar com aparência seca na base.

Isso acontece por que os tecidos jovens com o passar do tempo tornam-se mais lenhosos (mais duros, mais grossos).

lavanda secando na base
Lavanda ficando seca na base
Fonte: No Figueiredo

As lavandas podem viver por volta de 15 anos e se cultivá-la da maneira correta podem viver muito mais.

Sendo assim, não se preocupe, ter essa base mais seca é natural e é muito importante que você saiba que se podar a lavanda nessa parte mais seca, não nascerá mudas ou caules nessa parte.

Se sua planta estiver com esse aspecto, faça uma poda para rejuvenescê-la, isso será explicado mais a frente.

Como fazer mudas de Lavanda por estacas

Fazer mudas por estacas é bem fácil. A muda por estacas não é um método que funciona 100%, mas mesmo assim vale a pena.

Basta retirar um galho mais novo da lavanda, retirar as folhas que ficam na parte de baixo e colocar a lavanda na terra. Simples assim.

Veja na prática como fazer no vídeo abaixo:

Onde e Como plantar Lavanda

As lavandas podem ser cultivadas no solo, direto no jardim ou em vasos.

Os vasos de lavandas (mínimo de 25 cm de profundidade) devem ser um pouco maiores, para que as plantas consigam se multiplicar bem e não ficarem tão apertadas, já que elas soltam muitas mudas laterais.

Pegue o vaso, coloque um material drenante no fundo (brita, pedaços de isopor, argila expandida, cacos de telha) e coloque um pedaço de TNT acima dessa camada (esse passo é opcional).

Após isso, coloque um pouco de terra de qualidade dentro do vaso, ajeite a planta no meio e complete com terra.

Pressione levemente para maior fixação e irrigue.

Plantios em jardins também é fácil. Basta escolher um local onde há incidência de 5 – 6 horas de sol e fazer uma cova de plantio de no mínimo 30 cm de profundidade.

Misture um pouco de adubo orgânico nessa terra que retirou para colocar novamente a planta.

Você pode utilizar qualquer adubo de sua preferência.

A quantidade de adubo utilizado na cova de plantio dependerá do tipo de adubo utilizado:

– Bokashi: 1/2 kg por cova, misturado na terra de cobertura;

– Esterco de curral: 5 litros;

– Esterco de galinha: 3 litros.

Porém, se utilizar qualquer tipo de esterco, é necessário a aplicação de aproximadamente 100 gramas de farinha de osso.

Como podar lavanda

A poda da lavanda é muito importante para manter a juvenilidade das plantas.

Isso por que as plantas ficam com o caule mais grosso/lenhoso a partir do segundo ano.

Importante dizer que cada espécie pode possuir diferentes quantidades de podas. Enquanto a L. angustifolia necessita de aproximadamente duas podas por ano, a L. dentata pode precisar de apenas uma.

Geralmente a poda é feita no momento da colheita, cortando-se de um terço a metade da parte aérea, sempre tomando cuidado para que deixe ao menos 3 gemas.

Veja um pouquinho mais sobre a poda no vídeo abaixo (com o charme do sotaque de Portugal):

A poda de rejuvenecimento é feita da seguinte maneira:

Quando suas plantas formarem moitas muito grandes e já estiverem com o caule mais lenhoso, faça a poda de toda a parte de cima (pode ser feito com um tesourão):

Poda da lavanda
Fonte: Nature & Garden

como podar lavandas
Fonte: Nature & Garden

Após a utilização do tesourão, corte o excesso de caules na parte lenhosa, para diminuir a densidade da planta e assim aumentar a aeração e a luminosidade dentro da moita.

limpeza da lavanda seca
Fonte: Nature & Garden

Os caules que você deseja que continuem crescendo, deixe com pelo menos um par de folhas.

Corte também algumas mudas direto da base, principalmente as mais lenhosas e grossas.

poda lavanda na base
Fonte: Nature & Garden

Limpe o interior da moita retirando todas as folhas mortas e restos da poda feita.

Retire o excesso de mudas em volta e deixe no formato que desejar.

O resultado final deve ser algo parecido com isso:

resultado final da poda
Fonte: Nature & Garden

Como Colher e Secar lavandas

Colher lavandas para secagem é muito simples, você só precisa ficar atento(a) a duas coisas.

  1. Colher em um dia seco.
  2. Colher quando as flores estiverem recém-abertas, pois elas possuem maior quantidade de óleos essenciais, o que dão maior aroma. Com o tempo a quantidade vai diminuindo.

Importante verificar se as hastes estão maduras, ou seja, mais duras/resistentes. Hastes com essas características significam que a planta está saudável, pois as flores são pesadas e para aguentar todo esse peso, a haste deve estar rígida.

Para cortar, utilizando uma tesoura corte a haste inteira, logo acima de onde ela surgiu, na chamada “forquilha”, deixando as folhas.

local do corte para colheita da lavanda

Há a possibilidade de cortar juntamente com algumas folhas, visto que elas também possuem óleos essenciais e também podem ser utilizadas.

Para ver como fazer, assista ao vídeo abaixo:

Vocês aprenderam os diferentes tipos de lavanda, aprenderam a cultiva-las e a multiplicá-las, agora por que você deveria cultivar essa planta?

Programa exclusivo sobre Lavandas

Assistam o programa da Multi Agro sobre o cultivo dessa planta super delicada e bonita:

Continue a leitura para ver todos os benefícios que ela possui e para o que ela serve.

Para que serve a lavanda?

As lavandas possuem diversas finalidades e podem ser utilizadas de várias formas diferentes.

Elas são utilizadas medicinalmente em todo o mundo devido às suas propriedades terapêuticas, algumas comprovadas cientificamente outras apenas empiricamente (com pouca fundamentação científica).

Observação: Importante dizer que devido às diferentes espécies existentes, algumas propriedades podem estar em uma, mas não na outra. Por isso antes de adquirir qualquer produto veja se as propriedades que busca se encontram no produto desejado.

Vou fazer a separação aqui para vocês, mas não sou médico então levem o que está indicado apenas como um norte, combinado?

Propriedades Lavandula angustifolia

Os óleos dessa espécie quase não possuem cânfora em sua composição, possui um aroma doce e floral e são ricos em linalol e acetato de linalila.

Possui propriedades antissépticas, anti-inflamatórias, antifúngicas, antiviral, bactericida, além disso é imunoestimulante, calmante, atua na regeneração da pele, melhora o sono, atua contra o estresse.

A Lavandula angustifolia ainda é usada como remédio para acne, cólicas, flatulência, tontura, cefaleia, náuseas, dor de cabeça, reumatismo, asma, enjoos, bronquite, gripe, e também é utilizado como repelente de insetos (Fonte: Aspectos gerais sobre a cultura da Lavanda).

Propriedades da Lavandula stoechas

Possui propriedades altamente eficazes para otite média, bronquite e resfriados.

Além disso também tem ação bactericida e antiviral, promove a renovação celular e a cicatrização de feridas.

O óleo essencial dessa espécie possui maior quantidade de cânfora o que dá um aroma diferente da convencional (da Lavandula angustifolia).

Propriedades da Lavandula hibrida

Além de conter as mesmas propriedades bactericidas, antifúngicas e antivirais essa espécie também possui efeitos calmantes e relaxantes e antiespasmódica (previne a ocorrência de espasmos no estômago, intestino, útero ou bexiga).

É também eficaz na regulação da circulação sanguínea, agindo como remédio cardiotónico.

Produtos feitos com Lavanda

Os produtos feitos com essa planta são diversos e muito conhecidos, veja alguns deles aqui:

Óleo Essencial de lavanda

Nesse caso, notem que cada óleo essencial é feito com uma espécie diferente de lavanda.

Odorizantes

Desinfetante

Difusor de ambiente

Creme hidratante

Géis de banho

Chás – Para que serve o chá de lavanda?

Geralmente o chá preparado com lavanda é um produto calmante (quando feito com a L. angustifolia ou com a L. hibrida), indicado para auxiliar a desintoxicação do organismo, a saúde da pele, melhorar a digestão, combater insônia e ansiedade, reduzir inflamações, entre outros benefícios.

Além de todos os benefícios citados, algumas pesquisas sugerem que os chás de alfazema ajudam no emagrecimento.

chá de lavanda

Os chás de alfazema são feitos a partir das flores, inclusive nos botões florais, não das folhas ou caule.

O resultado do chá é um produto que possui vitamina C, vitamina B2, vitamina B3, vitamina B5, zinco, ferro, cálcio, magnésio, fósforo, selênio dentre outros.

Os principais benefícios dos chás e alfazema são:

  • Ajuda a aliviar o estresse crônico e a ansiedade
  • Melhorar a saúde do coração
  • Manter uma pele saudável através dos antioxidantes
  • Torna o sistema digestivo mais eficaz
  • Reduz inflamações
  • Relaxa os músculos aliviando dores musculares
  • Melhora a saúde respiratória
  •  Zinco e potássio ajudam a combater fatores associados à insônia

O chá de alfazema possui efeitos colaterais?

Apesar dos casos serem raros, o chá de lavanda pode causar alguns efeitos colaterais em algumas pessoas, por isso, como disse na parte dos benefícios, esse artigo serve apenas para te dar um caminho, sempre procure a ajuda de um médico especializado.

Os efeitos observados em algumas pessoas foram:

  • Irritação na pele;
  • Náuseas;
  • Aumento do apetite;
  • Constipação;
  • Dor de cabeça;
  • Vômitos.

Como já mencionado acima, mulheres grávidas devem evitar o uso da lavanda, isso por que a lavanda pode estimular a menstruação e causar um aborto espontâneo ou outras complicações durante a gestação.

Portanto, apesar dos vários benefícios se não for utilizada da maneira correta ela pode causar vários danos à saúde. Sempre procure a ajuda de um profissional para que ele te informe se você está seguro(a) de ingerir o chá.

Perguntas e respostas sobre o cultivo de lavandas

Como é o pé de lavanda?

São pequenos arbustos, perenes (sobrevive durante longos tempos), incluindo também as anuais e os subarbustos.

Pode atingir 80 cm de altura aproximadamente com raízes pivotantes, ou seja, possui uma raiz princiapal.

Plantar lavanda dá lucro?

Bom, se há produtores é por que dá sim lucro.

Os produtores de lavanda costumam vender as flores e hastes na forma de buquês e a parte vegetativa da planta vendem ou extraem o óleo essencial.

O óleo essencial é vendido ao consumidor final por aproximadamente R$ 1000 reais o litro, o produtor conseguem ficar com aproximadamente R$ 250 reais por litro (1/4 do preço final), se ele não extrair o óleo. Dados extraídos do Jornal da Band.

Os buquês, se oferecidos direto para o consumidor final, podem ser vendido por aproximadamente 200 reais.

Como fazer um canteiro de lavandas?

A primeira coisa que deve considerar para isso é qual variedade irá utilizar. A L. dentata é a mais adaptada para nossa região (Brasil), mas outras também podem ser utilizadas.

O espaçamento entre as plantas dependerá da espécie que escolher, variedades menores como a L. angustifolia necessita de aproximadamente 70 cm entre plantas, já a L. intermedia por crescer mais, necessita de aproximadamente 90 cm.

Entre as linhas de plantio o espaçamento será de aproximadamente 1 metro a 1,5 metros.

Lembrando que o PH do solo deve ficar entre 6,5 e 7.

É possível comer alguma parte da lavanda?

Sim, é possível! Há comidas doces e salgadas como biscoitos, pães, bolos, pudins, sorvetes e várias outras.

São muitas as possibilidades. As partes comestíveis são as pétalas das flores, as flores secas, o óleo essencial, folhas. Praticamente tudo pode ser utilizado, mas deve-se saber como utilizá-los, se é necessário algum método de preparação antes.

Qual é a diferença entre alfazema e lavanda?

Há muita confusão sobre esse assunto e no Brasil popularmente todas as lavandas são conhecidas como alfazemas.

Porém, a alfazema é uma das espécies de lavandas existentes, mais especificamente a Lavandula angustifolia, como demonstrato por um trabalho da Universidade de Coimbra.

Conclusão

Através desse artigo você aprendeu que existem vários tipos de lavandas, algumas utilizadas de forma ornamental e outras de forma industrial.

Cada espécie possui uma característica de óleo essencial diferente, alguns com maior utilidade terapêutica outros com características mais aromáticas.

Vimos também que as lavandas ornamentais são bem fáceis de cultivar, tendo-se que tomar muito cuidado com a luminosidade, fator extremamente indispensável para a planta, por pelo menos 6 horas.

Essas plantas são extensamente utilizadas em vários produtos, como demonstrado no artigo, tanto em produtos de limpeza quanto alimentícios.

Há também o aspecto terapêutico da lavanda, algumas propriedades reconhecidas cientificamente e outras apenas empiricamente.

Participe do Grupo do Telegram 1Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta