SAIBA COMO ESCOLHER A MELHOR GRAMA PARA SEU JARDIM

Pontuação dos leitores
[Total: 0 Média: 0]

Ter um gramado bonito no jardim é o sonho de muitas pessoas. No entanto, gastam-se fortunas para comprar a grama e ela não corresponde à expectativa, e muitas vezes até morre. Existe uma razão para isso, você sabia?

A maioria das pessoas que compra grama acha que basta adquirir qualquer uma, colocar no chão e pronto. Como num passe de mágica, ela vai crescer, e ficar bonita. Devo dizer que é muito difícil essa fórmula dar certo, e um dos primeiros erros consiste exatamente na escolha da grama ideal para o seu local.

Há vários tipos de gramas, com diferentes necessidades de iluminação, irrigação, fertilidade do solo; algumas não toleram que sejam pisoteadas, outras crescem mais devagar, etc. Saiba mais informações sobre necessidades de plantas no artigo: 5 informações essenciais que você precisa saber sobre como cultivar suas plantas.

Então, em primeiro lugar, para obter um gramado bonito, você precisa escolher a grama ideal, pois assim evitará o desperdício de dinheiro, de tempo e de recursos naturais.

As gramas precisam dos mesmos cuidados de uma planta comum, como água, iluminação (mesmo que umas precisam de menos e outras de mais), adubação, etc.

Seus benefícios ambientais também são consideráveis, confira alguns:

  • Proporciona o revestimento do solo, impedindo a erosão causada pela chuva e pelo vento;
  • Liberação de oxigênio (cerca de 230 m²  de área gramada libera O2 suficiente para quatro pessoas);
  • Amenização dos efeitos da intensidade da luz e do calor, refrescando o ar (em um dia quente de verão, um gramado apresentará temperatura 16,5°C menor que a de um asfalto, e 7,8°C menor  que de um solo sem vegetação);
  • A quantidade de sedimentos  perdidos na área gramada é dez vezes menor que de uma área coberta apenas por palha.

A presença dos gramados nos ambientes urbanos vem crescendo no Brasil e está colaborando, cada vez mais, para melhorar a qualidade de vida das pessoas, dando oportunidade para o lazer e práticas de esportes diversos.

Ao final deste artigo você verá uma curiosidade super legal sobre uma nova maneira de se utilizar a grama.

Para facilitar o seu trabalho, selecionei as quatro gramas mais utilizadas e explicarei com detalhes as características de cada uma, para que você faça a melhor escolha.

Nota: Você verá no texto a palavra “rizomatosa” em quase todos os tipos de gramas citados. Os rizomas são um tipo de “caule” que cresce horizontalmente abaixo do solo, é a base do crescimento vegetativo.

As gramas rizomatosas possuem maior capacidade de regeneração, principalmente se a injúria for causada por tráfego, pois ficam enterradas no solo. Dessa forma, os rizomas ficam protegidos de danos mecânicos diretos.

Grama Esmeralda – Zoysia japonica

grama-esmeralda
Foto de Raffi Kojian

A grama esmeralda, originária do Japão, é também conhecida como zoysia silvestre, grama zoysia ou apenas zoysia.

É uma gramínea herbácea rizomatosa, cresce emitindo brotos rentes ao solo, sendo perene e muito ramificada, adaptada a uma ampla variedade de ambientes, além de ser tolerante ao frio. No entanto, adquire uma pigmentação marrom se a temperatura abaixa e o solo estiver salino.

Para as pessoas que moram no sul, essa grama pode não ser uma boa escolha, pois sua coloração não será muito bonita.

É uma das espécies mais utilizadas para contenção de taludes e áreas com riscos de erosão, além de ser muito utilizada em jardins residenciais, áreas públicas, parques industriais, campos esportivos, etc, por ser bem resistente ao pisoteio, mas não deve ser utilizada em tráfego intenso.

A grama esmeralda cresce melhor se cultivada a pleno sol ou a meia-sombra, e não irá atingir uma cobertura densa e atrativa se estiver sempre à sombra.

Tenha paciência, ela cresce devagar. O lado ruim disso é sua dificuldade em se estabelecer,  porém, em contrapartida, necessita de menos cortes do que outros tipos de grama.

Essa grama necessita de limpezas periódicas com um ancinho para remover camadas de grama antigas e outros tipos de sujeira de jardim – ela gera grandes quantidades de folhas secas.

A resistência e o preço da grama esmeralda são seus melhores atrativos, o que lhe garante uma ótima relação custo/benefício.

A maioria dos tipos de grama pertencentes ao gênero Zoysia é cultivada por meio do transplante a partir de pedaços de grama, devido ao já citado lento desenvolvimento.

Uma das vantagens do uso da grama esmeralda é a formação de um belo tapete quando cortada com frequência, formado pelo entrelaçamento dos estolões, que são penetrantes e enraízam facilmente, com as folhas chegando a altura de até 15 cm.

Recomenda-se, de maneira geral, podar sempre que a altura da grama estiver entre 2 e 3 cm.

Um gramado recém transplantado de grama esmeralda deve ser irrigado diariamente nas primeiras semanas.

Um benefício do transplante da grama esmeralda é que você pode instalá-la em qualquer época do ano, até mesmo quando a grama se encontra em estado dormente, com a cor marrom, no inverno. Porém, depois de estabelecida pode-se diminuir consideravelmente a irrigação.

A grama esmeralda necessita de menos fertilizante do que outros tipos, incluindo os de sua família. Tal necessidade, porém, varia de acordo com o lugar onde você vive.

O recomendado é fazer análise do solo antes de fazer a fertilização, pois altas concentrações de fertilizante podem causar doenças no seu gramado.

Apesar da grama esmeralda ser bem tolerante a diversos tipos de solo, aqueles pouco ácidos, com pH em torno de 6.0 e 6.5, são os mais recomendados.

Grama batatais – Paspalum notatum

grama-batatais
Fonte: Google imagens

A grama batatais, conhecida também como grama-da-bahia, grama-de-pasto, grama-forquilha, grama-mato-grosso ou gramão, é uma espécie muito significativa na região sul do Brasil.

É uma herbácea perene, rizomatosa, rasteira, com folhas de coloração verde-claras, longas, firmes e pilosas (folhas revestidas com “pelos”, os tricomas).

Possui raízes profundas, o que faz com que ela seja bastante utilizada no plantio de áreas inclinadas, visando, principalmente, o controle da erosão, mas esse fato também dificulta sua retirada para comercialização.

A grama batatais é uma planta com mecanismo fotossintético que requer altas taxas de luminosidade e temperaturas elevadas para o seu pleno desenvolvimento – temperaturas médias superiores a 15ºC.

Em épocas do ano com temperaturas mais amenas e menores taxas de luminosidade, tem seu desenvolvimento reduzido.

Quando utilizada para fins mais paisagísticos, a frequência de corte deve ser maior para que se elimine as inflorescências, que dão aspecto menos agradável ao gramado.

Essa grama tem propensão a um rápido florescimento por toda a temporada de crescimento, devido ao clima brasileiro.

Por ser bem rústica, consegue ser resistente a diversos fatores externos, como solos pobres, de baixa fertilidade, a condições de deficiência de água, a temperaturas baixas (geadas danificam as folhas, mas não mata a planta), suportam o pisoteio e também as queimadas.

Exige cortes frequentes para a manutenção da qualidade do gramado, devido ao rápido crescimento. Pode chegar à altura de 30 cm, mas deve ser cortada sempre que ultrapassar 3 cm.

Em razão do alto custo de manutenção e das dificuldades operacionais, utilizam-se reguladores de crescimento de plantas para manejar as inflorescências, o crescimento vegetativo.

O recomendado é que sua fertilização seja feita no começo da primavera, no começo do verão, no meio do verão e no outono, para se obter um grama com uma variação de verde mais escura.

Se possível, durante os períodos mais quentes e secos, sature a sua grama batatais de água e permita que ela absorva a água por alguns dias. Isso irá encorajar suas raízes a crescerem ainda mais profundamente e se torne ainda mais resistente a aridez.

Grama coreanaZoysia tenuifolia

grama-coreana
Fonte: Acervo pessoal do autor

A grama coreana é também conhecida como grama japonesa, grama mascarenha, grama veludo e relva fênix.

Tem folhas muito estreitas, pequenas e pontiagudas. É própria para uso em jardins residenciais e condomínios, além de ser muito utilizada em campos de golf, formando gramados extremamente densos e macios quando bem cuidados.

Exibe um verde de tonalidade média e possui a menor tolerância ao frio entre todas as gramas do gênero Zoysia.

Ela pode alcançar de 10 a 15 cm de altura, porém apare-a quando ela alcançar 2 cm de altura. Cresce num ritmo bem reduzido e raramente requer aparo para manter seu comprimento ou aparência. Isso é feito, principalmente, para manter o gramado nivelado.

Essa variedade de grama é muito conhecida por produzir altas quantidades de folhas secas, por isso, sua manutenção consiste na retirada dessas folhas e na irrigação.

Ela é resistente à seca, ao forte calor, moderadamente ao pisoteio e doenças, tolera bem a sombra e pode crescer em uma ampla variedade de solos, desde solos argilosos até os mais arenosos, podendo até cobrir rochas e solos com altos níveis de sal.

Tem pouca resistência ao frio e, como é originária de regiões tropicais, deve ser cultivada a pleno sol.

Também é muito exigente em relação aos nutrientes encontrados no solo e, por isso, deve ser feita sua fertilização semestral, que é esporádica, porém extremamente essencial.

O gramado não deve ser encharcado. Com o tempo e bom senso, é possível chegar à quantidade adequada de água.

Tocar a terra durante a rega pode ajudá-lo a verificar a quantidade de água já fornecida, ao sentir a umidade da terra.

Conforme o clima da região e a espécie de grama, a irrigação deve ser feita com maior ou menor frequência. Considere intervalos mínimos de 15 dias no verão e até, no máximo, 60 dias no inverno.

Grama São CarlosAxonopus compressus

grama-sao-carlos
Fonte: Google imagens

Também conhecida como grama curitibana, grama-tapete, grama raspim, grama sempre verde e grama missioneira.

Possui folhas largas e pilosas, de cor verde intensa, do tipo estolonífera, ou seja, a base do desenvolvimento vegetativo se dá a partir de “caules” superficiais.

É indicada para jardins públicos, residências, sítios e fazendas.

A grama São Carlos, por ser estolonífera, não possui boa capacidade de suportar muito tráfego, uma vez que isso danificaria os estolões, que são superficiais.

Os principais problemas dessa grama são seus estolões, suscetíveis ao apodrecimento e à baixa resistência ao pisoteio, além de ser sensível a algumas doenças foliares e de solo.

Tem boa adaptação a áreas sombreadas, pois suas folhas são mais largas, para maior captação da luz solar.

Não é adequada para gramados esportivos, devido ao seu hábito estolonífero e consequente baixa capacidade de regeneração a danos mecânicos.

Possui média exigência em termos de nutrição, não se adapta a solos pesados e mal drenados.

Planta de ciclo perene, sua altura ideal de poda deve ser mantida em torno de 3 a 6 cm

Ela é muito sensível a seca e não sobreviverá no solo muito árido, por isso é necessário fazer irrigações periódicas.

Existe uma outra espécie de grama São Carlos, a Axonopus affinus, que é mais resistente ao frio do que a Axonopus compressus, e seus aspectos são praticamente iguais.

Curiosidade

telhado-grama

Em todo o mundo e timidamente no Brasil, várias pessoas estão adotando o  chamado telhado verde, que consiste em uma cobertura vegetal feita com grama ou plantas.

Pode ser instalada em lajes ou sobre telhados convencionais, aumentando as áreas verdes e promovendo a biodiversidade ambiental.

Há também outros benefícios, como a diminuição das ilhas de calor, absorção e filtragem da água da chuva, promoção de trocas de calor mais gradativas entre as partes interior e exterior da edificação, aumento da umidade relativa do ar nas áreas próximas, promoção do isolamento acústico, além da redução do calor em regiões quentes, levando à diminuição do consumo de energia pelo uso de ar-condicionado.

Para que um telhado verde seja mais sustentável, deve-se evitar a utilização de plantas não nativas ou plantas de deserto, como cactus e suculentas, por não liberarem umidade e, dessa forma, não contribuírem significativamente para a melhor condição do ar.

A utilização de diferentes tipos de plantas, como arbustos, e até mesmo árvores, pode servir para abrigar e atrair diversos animais, tornando o local mais ecológico.

Conclusão

grama-conclusao

Vimos neste artigo que para a escolha adequada da grama não devemos levar em consideração apenas a sua beleza, deve-se considerar fatores como o sombreamento, a fertilidade do solo, tolerância mecânica, condições climáticas  e também a nossa disposição em fazer as devidas manutenções.

A escolha correta do tipo de grama fará 80% do trabalho para obter um gramado bonito.

Existem várias outras gramas no mercado, então não deixe que te empurrem qualquer uma, atente-se a esses fatores para que não tenha um cultivo oneroso.

Antes de implantar a grama onde deseja, recomenda-se caminhar sobre a área retirando objetos que possam atrapalhar o crescimento da grama, nivelar os buracos, retirar as plantas daninhas e, para os mais dispostos, fazer calagem para corrigir o pH do solo.

Dos nutrientes de maior necessidade dos gramados citam-se o nitrogênio, que proporciona as maiores respostas no crescimento das gramas, proporcionando a formação do tapete em menor tempo e com boa qualidade, e o fósforo, muito importante para o crescimento das raízes.

Gramas fazem um papel muito importante no solo, contribuindo para melhorar a qualidade de vida das pessoas e do meio ambiente, evitando a erosão dos solos,  amenizando o calor e capturando CO2.

Comentários

3 comentários em “SAIBA COMO ESCOLHER A MELHOR GRAMA PARA SEU JARDIM

  • 18/05/2018 em 3:00 PM
    Permalink

    Muito bom artigo, com certeza já ajudou e irá ajudar muitos internautas, assim como me ajudou.

    Resposta
    • 18/05/2018 em 6:41 PM
      Permalink

      Muito obrigado! 🙂

      Resposta
  • 27/07/2018 em 9:12 PM
    Permalink

    Excelente artigo, com informações claras e objetivas, parabéns!

    Resposta

Deixe uma resposta