28 Tipos de orquídeas que você precisa conhecer imediatamente

Pontuação dos leitores
[Total: 1 Média: 5]

Todo mundo quando quer saber sobre os tipos de orquídeas existentes fica um pouco perdido.

Alguns sites apenas dão exemplos de orquídeas sem nem ao menos citar porque escolheram colocar aquela espécie como exemplo.

Portanto, citar por citar espécies de orquídeas é muito fácil, visto que existem mais de 50 mil espécies. Porém que tal realmente tentar diferenciar os tipos de orquídeas existentes?

Continue a leitura para descobrir os tipos de orquídeas, dentro de diferentes classificações.

Várias classificações

Diferenciar os tipos de orquídeas não é tarefa fácil e nem simples, porque há uma infinidade de formas de diferenciá-las, sendo assim, eu escolhi duas dessas classificações e citarei tipos de orquídeas em cada uma delas.

Veja só alguns exemplos dessa infinidade de formas de classificá-las:

Podemos diferenciar os tipos de orquídeas através das cores, através do hábito vegetativo (terrestre, epífita, saprofita e rupestre), quanto ao gênero (Cattleya, Phalaenopsis, Laelia, Bulbophillum, Vanda etc.), quanto ao tamanho, quanto ao hábito de crescimento (pra cima ou para os lados), orquídeas de espécies raras ou comuns e dentro do próprio gênero podemos diferenciá-las (tipos de orquídeas Phalaenopsis, tipos de orquídeas Cattleya, tipos de Vanda) e por aí vai.

Tipos de orquídeas por habitat

Certamente você já se deparou com orquídeas em árvores, vasos ou mesmo na terra, portanto é natural que existam espécies que se adaptam melhor em condições específicas.

É muito importante conhecer a preferência de cada orquídea para que elas não sofram com escolhas erradas. Apesar de suportarem condições adversas, elas também possuem limites.

De acordo com o lugar de origem, ou seja, o habitat natural, elas podem ser classificadas grosseiramente em epífitas, terrestres, rupícolas e até mesmo saprófitas (se alimentam de matéria em decomposição).

Orquídeas rupículas ou rupestres

As orquídeas ruprestres vivem sobre pedras e rochas, geralmente sob insolação direta.

Porém, não se fixam especificamente sobre rochas e pedras lisas, mas sim nos líquens e folhas decompostas nas fendas das rochas.

Essas plantas possuem particularidades morfológicas que as fazem aguentar as adversidades climáticas. No meu curso eu explico melhor sobre isso.

Geralmente, os tipos de orquídeas do mato são provenientes dessa classificação.

Exemplos de plantas rupícolas:

  • Hoffmannseggella rupestris
Hoffmannseggella rupestris
Foto: Mauro Rosim

Originária de Minas Gerais, gosta de locais com bastante luz solar e altitudes que variam de 800 a 1600 metros.

Floresce entre os meses de março a junho e as flores duram em média 15 dias.

  • Hoffmannseggella caulescens (Lindl.) H.G.Jones
Hoffmannseggella caulescens
Foto: Mauro Rosim

Nativa de Minas Gerais, é comumente encontrada nas Serras do Rola Moça e campos ferruginosos.

Vive em ambiente extremamente pobres de água e nutrientes, por isso a planta possui pseudobulbos muito suculentos com intuito de armazenar água e nutrientes.

Floresce entre os meses de abril e agosto e as flores possuem coloração que variam de rosa escuro ao rosa claro.

  • Bulbophyllum involutum
Bulbophyllum involutum
Foto: Mauro Rosim

  • Hoffmannseggella briegeri

Descoberta em Minas Gerais, próximo da cidade do Serro a 240 km de Belo Horizonte.

Floresce nos meses de Novembro a Dezembro, podendo ter até 8 flores por haste. Além disso, suas flores duram 20 dias.

Seu cultivo é fácil, porém atente-se para deixá-la seca durante o dia e um pouco mais úmida durante a noite.

Orquídeas epífitas

Dentre todos os tipos de orquídeas, este é o de maior tamanho. São orquídeas que vegetam fixadas em troncos de árvores, mas sem retirar nenhum nutriente delas.

A fim de sobreviverem, orquídeas epífitas absorvem nutrientes do ar e da chuva.

Exemplos de plantas epífitas:

  • Cattleya tenebrosa
Flor da Cattleya purpurata
Imagem:salabat

Vegeta em mata atlântica e encostas montanhosas até 200 metros de altitude. Dentre suas características marcantes cita-se o grande tamanho, com pseudobulbos que chegam a 60 cm.

Floresce entre outubro e dezembro no habitat natural, por outro lado, plantas cultivadas costumam florescer entre dezembro e janeiro.

Exige bastante umidade e uma excelente drenagem no substrato juntamente com uma iluminação de média a intensa, porém sem sol direto.

  • Isabelia virginalis

Pequena espécie que possui bulbos pequenos envolvidos com finas bainhas fibrosas.

Suas flores são solitárias e possuem tamanho máximo de apenas 1,5 cm, de coloração rosada ou púrpura-pálido.

Orquídeas terrestres

Vivem como plantas comuns, ou seja, na terra. Alguns tipos de orquídeas terrestres conseguem sobreviver a solos bem pobres em nutrientes, outros são mais exigentes.

Veja abaixo algumas fotos dos tipos orquídeas terrestres.

arundina graminifolia

Esse é um dos tipos de orquídeas mais comuns do Brasil, podemos facilmente ve-las nos jardins e vasos de plantas na varanda das casas.

Não é exigente em fertilidade e se dá bem em diversos ambientes, mesmo os mais adversos.

Pode alcançar aproximadamente 2,5 metros e sua parte vegetativa se assemelha ao bambu, por isso o apelido de orquídea bambu.

Costuma florescer do verão e outono.

  • Vanilla planifolia (Baunilha)
Vanilla planifolia

Quem diria, não é mesmo? Aquele aromatizante que você coloca em diversas refeições é feito a partir dessa orquídea.

Orquídea fácil de ser cultivada e replicada, visto que se uma parte de seu caule quebrar, os pedaços que partidos formam raízes facilmente.

A planta se desenvolve bem em clima tropical, mas um período de seca é necessário para a planta florescer de maneira satisfatória.

Orquídeas saprófitas

Essa classificação possui poucas espécies, são desprovidas de clorofila e adquirem todo o alimento que precisam da matéria em decomposição.

  • Rhyzanthella gardneri

Vive em florestas subterrâneas na Austrália. Foi vista pela primeira vez em 1928.

Jack Trott ao investigar um fenda no solo sentiu um cheiro adocicado vindo dele, após escavar um pouco a superfície do solo, descobriu uma pequena flor crescendo debaixo da terra.

Veja mais fotos dessa interessante orquídea aqui (a língua falada no vídeo pode assustar, mas atentem-se as imagens) 😛

O que quer dizer tipos de orquídeas?

A confusão é normal, mas geralmente quando as pessoas querem saber sobre os tipos de orquídeas, elas se referem à espécie da orquídea.

Vamos entender a nomenclatura das orquídeas primeiro?

Todo mundo pode se perguntar o motivo das orquídeas possuírem nomes tão complicados. O fato é que, quase todos os nomes são científicos , isso é para dar identidade à todos os tipos de orquídeas.

O negócio é o seguinte, o sistema atual identifica cada espécie por dois nomes em latim. O primeiro, em maiúscula, é o gênero, o segundo, em minúscula, é o epíteto específico.

Por exemplo:

  • Cattleya walkeriana

Gênero: Cattleya
Espécie: Cattleya walkeriana

  • Phalaenopsis amabilis

Gênero: Phalaenopsis
Espécie: Phalaenopsis amabilis

Dentro do gênero Phalaenopsis existem uma infinidade de espécies. Phalaenopsis amabilis, Phalaenopsis violacea, Phalaenopsis schilleriana, Phalaenopsis lueddemanniana e outras.

Como podem ver, espécie é binomial, ou seja, possuem dois nomes. Portanto, você pode saber o gênero da sua orquídea, e não saber a espécie especificamente.

De forma muito simplificada, uma analogia fácil de ser lembrada é a seguinte:

Imagine que as orquídeas fossem cachorros. Portanto a raça (por exemplo, Pastor alemão) seria o gênero da orquídea, sendo assim as espécies seriam:

  • Pastor alemão de capa preta
pastor alemao capa preta
Imagem: Sete Lagoas
  • Pastor alemão preto
pastor alemão preto
  • Pastor alemão branco

Viram que apesar de todos os cães serem da raça (gênero) Pastor alemão, eles são diferentes entre si?

Por isso, quando se fala em ter uma Cattleya ou uma Phalaenopsis não estamos descrevendo o tipo de orquídea com precisão.

Entenda melhor tudo que foi explicado até agora através do fluxograma:

tipos de orquídeas

Classificação por habitat: Orquídeas rupícolas

Gênero: Cattleya, Hoffmannseggella, Phalaenopsis

Obs: Um gênero pode possuir várias espécies, além disso uma mesma espécie pode possuir diferentes cores de flor.

Espécie: Cattleya walkeriana, Cattleya nobilior, Phalaenopsis amabilis, Hoffmannseggella caulescens

Importante:

Algumas orquídeas podem viver tanto quanto rupícolas, tanto quanto como epífitas.

Agora que vocês conhecem a classificação mais básica das orquídeas, vamos falar um pouco sobre os tipos de orquídeas quanto às diferentes espécies existentes?

Principais tipos de orquídeas

Você provavelmente está curioso (a) para ver quantos tipos de orquídeas existem, mas será impossível comentar todas as espécies aqui, visto que o número é superior a 50 mil espécies.

Porém, citarei as principais, nesse artigo.

Angraecum sesquipedale

Angraecum sesquipedale
Imagem: The American Orchid Society

Tem sua origem em Madagascar. Necessitam de um sombreamento de 50% e temperatura que variam entre 15 a 35 ºC.

Suas hastes florais chegam a ter 20 cm de altura, com flores que duram até 25 dias. Geralmente as flores mostram sua beleza no inverno/primavera.

Cattleya aclandiae

tipos de orquídeas Cattleya aclandiae

Tem origem nas matas litorâneas da Bahia e Espírito Santo, sobre as árvores na região costeira.

Possui pequeno porte, cresce de forma desordenada e possui raízes longas e grossas. Pode florescer mais de uma vez ao ano, sempre que surge um novo pseudobulbo.

Possui pétalas e sépalas que variam de cor, entre verde-amarelado, creme ou marrom. Através das fotos, vocês podem ver que possui pintas de coloração marrom terra ou castanho-púrpura.

Frequentemente cultivada em cascas ou toquinhos serrados. Deve-se pendurá-la no lugar mais alto do orquidário.

Conheça mais sobre ela aqui:

Cattleya nobilior

tipos de orquídeas cattleya nobilior
Imagem:Cassano, A.

Orquídea encontrada nos estados de Mato Grosso do Sul, Mato Groso e Paraguai.

Possui pseudobulbos curtos, e cheios, além de duas folhas acima desses. São epífitas e vegetam sobre árvores onde há muita ventilação e sempre junto de cursos de água.

Geralmente floresce em maio e agosto com 2 a 6 flores que sempre saem de bulbos especiais e sem folhas do rizoma.

Possuem colorido variável de pétalas lilás escuro e labelo amarelo ouro, ou róseo-claro quase branco.

Apreciam muita luz solar, suas raízes não toleram umidade constante por longos períodos, aliás em seu habitat natural ficam meses sem água.

Cattleya schilleriana

tipos de orquídeas cattleya schilleriana
Imagem: Maria Helena

Planta quase extinta em seu habitat natural. Era frequentemente encontrada no estados do Espírito Santo e Bahia.

Pode ser cultivada de diferentes formas, casca de madeira, esfagno, casca de pinus, brita e outras, o único cuidado é a grande necessidade de drenagem.

Aliás, dê preferência ao caixotinho de madeira aos vasos.

Não gosta de sol direto e regue sempre que o substrato secar. Seu cultivo não é fácil se viver em um local que não se assemelha ao habitat natural dela, portanto se é iniciante é melhor deixar essa espécie para depois.

Floresce na primavera/verão e as flores surgem de pequenas espatas e duram de 10 a 12 dias.

Cattleya walkeriana

exposicao-de-orquideas-sols
Cattleya walkeriana var. tipo ‘Carola’ x Cattleya walkeriana var. tipo ‘Kiparada’

Umas das espécies mais famosos do mundo, tento pela sua beleza quanto pelo preço, que muitas vezes ultrapassam R$ 1000 reais por cada pseudobulbo.

É nativa do Brasil, e comum de ser encontrada nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Mato Groso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal.

Esse tipo de orquídea pode vegetar tanto de forma epífita quanto de forma rupícola.

Geralmente possui apenas uma folha por bulbo, mas às vezes podem apresentar 2 folhas.

Assim como na Cattleya aclandiae, podem surgir flores tanto de pseudobulbos especiais quanto de pseudobulbos normais (com folhas).

Vegetam protegidas por árvores que frequentemente perdem as folhas no frio. Por esse motivo, as Cattleya walkeriana recebem luz solar plena na estação mais fria e fica protegida nos meses mais quentes.

Florescem a partir de abril a julho. A flor comum tem pétalas e sépalas nas cores magenta ou púrpura. E também, produzem de 1 a 3 flores por haste que duram no máximo 25 dias.

Em seu habitat pode vegetar diretamente exposta ao sol, mas em cultivo doméstico é melhor iluminação de mediana para forte luminosidade, com boa ventilação.

Veja mais informações sobre essa planta aqui:

Cattleya intermedia

tipos de orquídeas Cattleya intermedia
Imagem: Orquidário Frutal

Planta de origem no Brasil.

Essas orquídeas são classificadas de acordo com suas cores e existem aproximadamente 30 tipos diferentes de colorações.

Muito utilizada para fazer cruzamentos com outros tipos de orquídeas.

A temperatura ideal de cultivo varia entre 5 a 35 ºC com um sombreamento de 50% a 70%. Aceita vários tipos de substratos, mas sempre com bastante drenagem.

Geralmente floresce no inverno a primavera.

Não deixem de ver esse incrível vídeo da abertura floral de uma Cattleya intermedia

Dendrobium nobile (Olhos de boneca)

tipos de orquídeas Dendrobium nobile
Imagem: sunoochi

Uma das orquídeas mais famosas do Brasil, perdeu espaço para as Phalaenopsis, mas ainda é muito apreciada.

São plantas bastante fortes, muitas vezes toleram ficar debaixo de sol pleno em jardins. Porém, para que o cultivo seja melhor e a planta não sofra muito com altas temperaturas, aconselho um sombrite de 40%.

O substrato deve ser bem drenado e umidade moderada. Apenas irrigue se a planta já estiver seca.

Geralmente os bulbos traseiros perdem as folhas, então não se espante se isso ocorrer com seu Dendrobium.

As florações duram em média 30 dias, a planta floresce do outono ao inverno (precisam de um período frio para florescerem)

Dendrobium fimbriatum

tipos de orquídeas dendrobium fimbriatum
Imagem: OrchidRoots

Espécie epífita, mas pode ser encontrada vegetando em rochas. É natural da Ásia e encontrada a altitudes entre 700 a 2400 metros.

É possível cultivá-la em ambiente cuja temperatura varia de 10 a 35 ºC, mas em temperaturas mais altas vegeta melhor, sendo assim, um sombrite de 40% é suficiente para ela.

Epidendrum secundum

28 Tipos de orquídeas que você precisa conhecer imediatamente

Orquídea do tipo terrestre com inflorescência no formato “guarda-chuva”

Assim como todas as orquídeas do gênero Epidendrum, deve possuir boa drenagem no substrato e condições de clima intermediário (iluminação e regas moderadas)

Miltonia spectabilis

tipos de orquídeas miltonia spectabilis

Originária do Brasil, possui porte médio e pode chegar a aproximadamente 30 cm de altura.

Por ter folhas e raízes finas, é muito sensível a variações de temperatura e falta de umidade, desse modo, não descuide desses itens.

Assim, para maior proteção, escolha um sombreamento de 60 a 70%.

Oncidium flexuosum (Dama dançante)

28 Tipos de orquídeas que você precisa conhecer imediatamente
Imagem:Cell Code

Geralmente, os Oncidium formam hastes com flores amarelas que podem alcançar até 80 centímetros. Pelo aspecto que as flores formam, esse tipo de orquídeas recebeu o apelido de chuva de ouro, porém o Oncidium flexuosum, além desse nome, possui outro apelido, Dama dançante.

Esse fato é devido ao formato de seu labelo, que parece com uma pessoa de vestido dançando.

Você consegue ver a semelhança?

Esse Oncidium é nativo do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai.

É uma orquídea epífita, ou seja, o melhor substrato para ela é o composto por cascas.

Possuem raízes e folhas finas e apreciam uma boa umidade do ar, com bastante claridade, um sombrite de 50% fará essa planta se desenvolver bem.

Não possui época certa de floração, podendo florescer durante todo o ano, principalmente no outono. Suas flores duram em média 15 dias.

Paphiopedilum Leeanum (Sapatinho de Vênus)

Proveniente Ásia, é um dos tipos de orquídeas terrestres, porém um substrato composto apenas de terra não é o ideal para ela, visto que a terra se compacta muito facilmente.

Por isso, aconselho a mistura de substrato para epífitas (exemplo: casca de pinus) na terra que utilizará (terra fértil e de boa qualidade).

Vasos de plástico são melhores para essa orquídea, pois secam mais devagar, mas esse deve ser furado nas laterais para aumentar a ventilação nas raízes.

Uma vez que o substrato secar, a planta definha muita rapidamente, por não possuir pseudobulbos que armazenam água e nutrientes, por isso as regas devem ser frequentes.

Vanda coerulea (Orquídea azul)

28 Tipos de orquídeas que você precisa conhecer imediatamente

A orquídea Vanda é uma espécie de orquídea com origem no Himalaia.

Já viu aquelas plantas que ficam penduradas sem vaso, sem substrato? Então, esse é o gênero que cresce muito bem nessas condições.

Essa espécie e o gênero, de forma geral, não necessita de substrato, mas você pode utilizar, desde que não sufoque as raízes da planta que ficam sempre soltas.

Pendure a planta no local mais alto do seu orquidário que em pouco tempo as raízes vão alcançar o solo.

Devido a maior parte dos cultivos não usar substratos, a irrigação deve ser feita frequentemente, até mesmo mais de uma vez por dia.

Um fato curioso é a modificação da cor das raízes ao irrigá-las, tornam-se imediatamente verdes.

As raízes são bem desenvolvidas e conseguem absorver grande quantidade de umidade do ambiente.

Finalizando, apesar do vídeo abaixo estar em inglês, vale a pena apenas pelas flores mostradas:

Para saber como cultivar a orquídea Vanda, acesse o artigo: Como cultivar orquídea Vanda: Tudo o que você precisa saber.

Bom, eu não poderia finalizar este artigo sem mostrar as queridinhas do Brasil, né? Por isso, separei um tópico apenas para elas.

Tipos de orquídeas Phalaenopsis

A Phalaenopsis, também conhecida como orquídea borboleta, caiu no gosto dos brasileiros.

Apesar de muita gente ainda ter dificuldade em cultivá-las, é uma planta considerada de fácil cultivo.

Se você ainda não consegue cuidar de uma Phalaenopsis, baixe o guia gratuito clicando na imagem abaixo, com ele você saberá todas as necessidades da planta e saberá exatamente o que fazer para que elas se desenvolvam.

capa ebook phalaenopsis

Talvez sejam as plantas mais difíceis de serem identificadas ao nível de espécies (nome mais específico), visto que possui uma imensidão de híbridos e quase sempre não divulgam o nome nos supermercados, floriculturas

De forma simplificada, existem 3 tipos de orquídeas Phalaenopsis: os híbridos, as espécies puras (Phalaenopsis espécie) e as mini Phalaenopsis.

As espécies híbridas são quase impossíveis de serem identificadas se não vierem com o nome, com algumas exceções.

Porém, apesar de diferentes tipos, todas possuem o mesmo modo de cultivo.

Veja também o artigo Como Cuidar de Orquídeas: 8 Fatores essenciais para ter sucesso, nele eu explico tudo que você deve observar para cultivar suas plantas.

Tipos de orquídeas Phalaenopsis: Híbridos

Phalaenopsis Diamond Sky

tipos de orquídeas Phalaenopsis Phalaenopsis Diamond Sky

Pode ser cultivada dentro e fora de casa. Gosta de ambientes bem iluminados, mas nada de sol direto.

Vegetam em locais de florestas úmidas, sendo assim, essa planta aprecia muito maior umidade do ar.

Phalaenopsis Ever Spring Fairy

tipos de orquídeas Phalaenopsis Ever Spring Fairy

Precisa de boa ventilação e não se deve deixar o substrato seco por muito tempo. A propódito, ele deve ser bem drenado e ter elementos que retenham água.

Tipos de orquídeas Phalaenopsis: Mini Phalaenopsis

Muito utilizada para decoração de interiores (dentro da casa), assim como o próprio nome diz, são Phalaenopsis porém muito menores, tanto na parte vegetativa (folhas), quanto nas flores.

tipos de orquídeas Phalaenopsis mini
Imagem: Orchidejos

Tipos de orquídeas Phalaenopsis: Espécies

Esse tipo de orquídea é chamada assim por não ter sofrido hibridação, ou seja, não sofreu nenhuma mistura com outras plantas, por isso recebem o nome de Phalaenopsis espécie.

Phalaenopsis bellina

tipos de orquídeas Phalaenopsis belina

Phalaenopsis lueddemanniana

tipos de orquídeas Phalaenopsis lueddemanniana

Muita gente possui dificuldades ao cultivar Phalaenopsis e cai no mesmo problema: as folhas murchas. Veja abaixo um vídeo em que explico um dos fatores que causam as folhas murchas em Phalaenopsis e como resolvê-lo.

Lembrando que se quiser saber mais sobre como cultivar suas Phalaenopsis, baixe o guia gratuito clicando na imagem abaixo.

capa ebook phalaenopsis

Conclusão

Por meio deste artigo, você descobriu quantos tipos de orquídeas existem, alguns tipos de orquídeas do mato, os tipos de orquídeas Phalaenopsis e os principais tipos de orquídeas encontrados no Brasil.

Além disso, conseguiu aprender o que significa esses diferentes tipos, conhecendo um pouco da nomenclatura das orquídeas quanto ao gênero e espécie.

Com toda certeza, se te perguntarem qual tipo de orquídea você têm, você dirá:

Tenho uma Cattleya walkeriana ou uma Phalaenopsis híbrida e não somente Cattleya ou Phalaenopsis.

As características das plantas mencionadas de cada espécie te ajudou a conhecer um pouquinho mais sobre elas e, com toda certeza, o guia gratuito de Phalaenopsis fará grande diferença para você.

Comentários

4 comentários em “28 Tipos de orquídeas que você precisa conhecer imediatamente

  • 21/04/2019 em 11:49 AM
    Permalink

    Bom dia, Gilberto. Tudo bem?
    Quero agradecer o envio dos 28 tipos de orquídeas. Já me está sendo muito útil!!!
    Muito obrigado. Grande abraço.
    Ibsen

    Resposta
    • 21/04/2019 em 4:45 PM
      Permalink

      Que bom Ibsen! Muito bom que tenha gostado! 🙂

      Resposta
  • 22/04/2019 em 10:54 AM
    Permalink

    Parabéns pelo Trabalho, tem me ajudado muito, obrigado

    Resposta
    • 22/04/2019 em 3:19 PM
      Permalink

      Muito obrigado!! Que bom que o blog te auxilia! 🙂

      Resposta

Deixe uma resposta